Um dos mais importantes anuários do setor energético mundial foi lançado nesta quinta-feira, 27 de outubro. O World Energy Outlook 2022, (disponível para download em inglês) da Agência Internacional de Energia foi apresentado com base no cenário da crise causada pela guerra da Rússia na Ucrânia. Na avaliação da entidade, e que é a principal conclusão, esse fator está causando mudanças profundas e duradouras que têm o potencial de acelerar a transição para um sistema energético mais sustentável e seguro.

Nesse sentido, aponta a AIE, novas políticas nos principais mercados de energia ajudam a impulsionar o investimento anual em energia limpa para mais de US$ 2 trilhões até 2030, um aumento de mais de 50% em relação a hoje. Mas, alerta que seria necessário estar acima de US$ 4 trilhões na mesma data no Cenário de Emissões Zero Líquidas até 2050.

Assim, avalia que “a energia limpa torna-se uma grande oportunidade de crescimento e emprego, e uma importante arena para o competição econômica”.

Na análise da entidade, ao longo das 524 páginas do estudo, essa crise de energia está causando um choque de amplitude e complexidade sem precedentes. Os maiores tremores foram sentidos nos mercados de gás natural, carvão e eletricidade – com turbulência significativa também nos mercados de petróleo. Com isso, continua, os mercados de energia permanecem extremamente vulneráveis. E alerta que “a crise é um lembrete da fragilidade e insustentabilidade do atual sistema global de energia”.

A entidade afirma que juntamente com medidas de curto prazo para tentar proteger os consumidores dos impactos da crise, muitos governos estão agora tomando medidas de longo prazo. Alguns estão procurando aumentar ou diversificar os suprimentos de petróleo e gás, e muitos estão procurando acelerar as mudanças estruturais.

Cita que as respostas mais notáveis ​​incluem a Lei de Redução da Inflação dos EUA, o pacote Fit for 55 da União Europeia e REPowerEU, o programa Green Transformation (GX) do Japão, o objetivo da Coréia de aumentar a participação de energia nuclear e renováveis ​​em seu mix de energia e metas ambiciosas de energia limpa na China e Índia.

À medida que os mercados se reequilibram nesse cenário, a vantagem para o carvão da crise atual é temporária, pois as energias renováveis, apoiadas pela energia nuclear, veem ganhos sustentados. Como resultado, um ponto alto para as emissões globais é alcançado em 2025. Ao mesmo tempo, os mercados internacionais de energia passam por uma profunda reorientação na década de 2020, à medida que os países se ajustam à ruptura dos fluxos Rússia-Europa.

Segundo Fatih Birol, diretor executivo da IEA, mesmo com as configurações de políticas atuais, o mundo da energia está mudando drasticamente. As respostas governamentais em todo o mundo prometem tornar este um ponto de virada histórico e definitivo em direção a um sistema de energia mais limpo, mais acessível e mais seguro.

A sua energia é o nosso negócio.