De janeiro pra cá, foram lançados 12 modelos híbridos e elétricos no Brasil, de 10 marcas diferentes. Além deles, outros 30 modelos eletrificados estão disponíveis em nosso país.

Esse número só tende a crescer, pois marcas como Chevrolet, Jeep, Kia, RAM, Toyota, Volkswagen e Volvo confirmaram lançamentos para os próximos meses. De acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), até o fim de agosto, foram vendidos pouco mais de 21 mil veículos do tipo no Brasil em 2021. Mais do que em todo o ano de 2020.

A previsão é de que sejam comercializados 30 mil híbridos e elétricos até o final do ano. A notícia é animadora, mas esse segmento representa cerca de 2% do mercado brasileiro, de acordo com a Anfavea, a associação das fabricantes.

“Nos próximos dois anos, o crescimento será exponencial, mas com volume ainda pequeno”, afirmou Antonio Calcagnotto, diretor de relações institucionais e sustentabilidade da Audi, no último Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos.

No mundo, já existe uma lista considerável de fabricantes que marcaram o ponto de virada para só lançarem veículos híbridos ou elétricos. As mais otimistas consideram 2025 como ano chave. Outras, 2030.

No entanto, essas previsões parecem bastante irreais para o Brasil. “Todos os cenários levam à eletrificação. Mas nós vamos conviver com o etanol por décadas”, completou o executivo. Para Marcus Vinicius Aguiar, Diretor de Relações Institucionais, Governamentais e RSE da Renault, o preço ainda é um desafio. “Isso vai chegar no Brasil, mas não de forma popular”, disse.

O resultado é que, em pleno 2021, existe um pequeno grupo de fabricantes que sequer oferece ao público a opção de comprar um veículo elétrico ou híbrido.

Desplugadas

 

Das 20 marcas que mais vendem veículos no Brasil, sete não têm nenhum modelo eletrificado na gama. São elas: Citroën, Ford, Hyundai, Jeep, Kia, Mitsubishi e Volkswagen.

Apesar de ter prometido seis modelos eletrificados no país até 2023, a Volkswagen parece ter regredido nessa estratégia. A alemã até trouxe o Golf GTE para o Brasil em 2019, quando a nova geração era mostrada na Europa. As vendas não foram tão bem e boa parte das 99 unidades importadas da Alemanha acabou nas mãos da locadora Unidas.

Fonte:https://autoesporte.globo.com/um-so-planeta/noticia/2021/10/apesar-da-venda-recorde-sete-das-maiores-marcas-do-brasil-nao-vendem-carros-eletricos-ou-hibridos.ghtml