Plano envolve uso de energia solar e eólica para produzir hidrogênio, na maior iniciativa já impulsionada pelo governo chinês no setor

A região chinesa da Mongólia Interior aprovou um grande projeto que usará energia solar e eólica para produzir hidrogênio verde. Um grupo de usinas nas cidades de Ordos e Baotou vai usar 1,85 gigawatts de energia solar e 370 megawatts de vento para produzir 66,9 mil toneladas de hidrogênio verde por ano, disse a Associação de Promoção da Indústria de Energia de Hidrogênio em um relatório. O desenvolvimento do local está programado para começar em outubro de 2021 e os projetos devem estar operacionais em meados de 2023, disse a associação, sem especificar o custo ou os desenvolvedores.

O projeto, que produziria hidrogênio suficiente para deslocar cerca de 180 milhões de galões de gasolina por ano se fosse usado para veículos com células de combustível, é o maior já liderado pelo governo, segundo a Bloomberg.

A previsão é que menos de 20% da energia da iniciativa da Mongólia Interior vá para a rede elétrica e o restante seja dedicado ao hidrogênio verde. Embora vários projetos anunciados na China combinem energias renováveis ​​com hidrogênio verde, a maioria se destinava à geração de eletricidade primeiro.

O hidrogênio é amplamente visto como vital para o esforço da China de descarbonizar sua economia até 2060. O valor de produção da indústria de hidrogênio do país é estimado em 1 trilhão de yuans (cerca de R$ 833 bilhões) em cinco anos e pode chegar a 12 vezes mais até 2050, de acordo com Bloomberg Intelligence, com base nas projeções da China Hydrogen Alliance.

Os maiores projetos chineses de hidrogênio verde até agora vieram de gigantes industriais como a Sinopec ou o Ningxia Baofeng Energy Group, que deve completar um eletrolisador movido a energia solar de 150 megawatts neste ano em uma de suas fábricas de carvão para produtos químicos.

Embora a Mongólia Interior seja há muito tempo uma das principais regiões de mineração de carvão na China, as autoridades a estão posicionando como um centro potencial de energia renovável para exportar eletricidade e hidrogênio para o resto do país. A região recebe cerca de 3,1 mil horas de luz solar por ano para geração solar e está localizada no principal canal do vento siberiano, que poderia abastecer dezenas de gigawatts de turbinas eólicas, segundo a associação do hidrogênio.

Fonte:https://umsoplaneta.globo.com/energia/noticia/2021/08/19/china-aprova-megaprojeto-de-energia-renovavel-para-producao-de-hidrogenio-verde.ghtml