Após a eclosão do novo coronavírus (COVID-19), e seu grave impacto social e econômico, a China começou a estimular sua economia em um esforço de recuperação. As províncias anunciaram seus planos de investimento, nos quais as novas infra-estruturas desempenham um papel extremamente importante. Essa infraestrutura também afetará profundamente o desenvolvimento do setor de energia da China na era pós-epidemia.

Com a retomada gradual das obras e da produção na China, bem como a implementação do plano de estímulo econômico, a demanda por energia e capacidade de geração deverá aumentar. Conforme estimado pelo Conselho de Eletricidade da China, o consumo total de eletricidade em 2020 aumentará 2-3% em relação a 2019, mesmo com uma queda de 6,5% no primeiro trimestre.

Enquanto isso, a China manteve sua meta de baixo carbono para 2020 para o setor de energia, de gerar 15% de sua matriz energética a partir de fontes limpas (combustíveis não fósseis).

Garantir que o próximo aumento na infraestrutura de energia e na geração de eletricidade venha de fontes limpas ajudará a estimular a economia, ao mesmo tempo que se mantém o caminho do desenvolvimento verde, essencial para enfrentar as mudanças climáticas. Na verdade, as energias renováveis ​​podem criar mais empregos e sustentar mais crescimento econômico no longo prazo.

No entanto, obter eficientemente energia renovável de sua fonte para a rede elétrica continua a ser um desafio. Enfrentar esse desafio ajudará a garantir uma recuperação econômica mais forte e mais limpa para a China.

Fonte: https://www.wri.org/blog/2020/09/powering-china-clean-energy-after-covid-19