Na última quarta-feira (14), Cingapura apresentou ao mundo uma usina solar flutuante que abrange uma área equivalente a 45 campos de futebol e produz eletricidade suficiente para abastecer as cinco estações de tratamento de água da cidade-estado.

A nova usina deve tornar Cingapura um dos poucos lugares do mundo a ter um sistema de tratamento de água totalmente movido a energia sustentável, de acordo com o comunicado oficial de divulgação.

A super-usina fica em um reservatório no oeste de Cingapura e pode gerar até 60 megawatts de eletricidade. O projeto faz parte dos esforços da cidade-estado asiática para cumprir a meta de quadruplicar sua produção de energia solar até 2025 e combater as mudanças climáticas.

De acordo com a AFP, o projeto é o mais ambicioso do país até o momento, compreendendo 122 mil painéis no reservatório Tengeh.

A nova empreitada energética pode ajudar a reduzir as emissões de carbono em cerca de 32 quilo toneladas anuais, o que equivalente a tirar 7 mil carros das ruas de acordo com um comunicado conjunto da empresa responsável pela usina e da agência nacional de água de Cingapura.

Os painéis solares flutuantes têm um desempenho entre 5% a 15% melhor do que os convencionais por causa do efeito de resfriamento da água. Além disso, não são impactados pelo sombreamento de outras edificações, de acordo com uma apresentação do projeto.

Fonte: https://umsoplaneta.globo.com/energia/noticia/2021/07/14/cingapura-inaugura-uma-das-maiores-usinas-solares-flutuantes-do-mundo.ghtml