Instalações de painéis de energia solar crescem em 53%, com o aumento recorrente nas contas de luz

Em 2021, a crise hídrica influenciou no aumento de 25% nas contas de luz dos brasileiros, fator que aumentou a adoção no uso de energia solar residencial em 50%. No início de novembro, as instalações de placas solares de captação de energia solar cresceram em 53%, com o aumento da conta de luz. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço definido pela agência nacional de energia elétrica do Brasil acumulou em 30%, nos últimos 12 meses.

“A evolução desse mercado confirma que cada vez mais os consumidores brasileiros tomam consciência da necessidade de buscar soluções sustentáveis para enfrentar as elevadas tarifas de energia elétrica e as mudanças climáticas”, explica o CEO do portal solar, Rodolfo Meyer.

No Brasil, a capacidade de geração de energia solar alcançou 12 GW na semana passada (incluindo projetos residenciais e usinas), o que equivale a 7% de toda capacidade de geração de energia.

Tais instalações trazem reflexos positivos no âmbito econômico, podendo ocorrer redução nas contas de luz de 50% a até 90%, além de ser uma fonte renovável, não polui o ambiente e é inesgotável.Em outras perspectivas, os investimentos associados às placas solares do sistema de captação de energia possuem valor considerável (cerca de R$ 15 mil), podendo retornar em menos de 5 anos.

Contas de luz tendem a subir em 2022

Já que as contas de energia elétrica tendem a continuar subindo até o ano que vem, a expectativa é de que o sistema de energia solar siga em aceleração. As contas de luz terão aumento médio de 21,04% em 2022, de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica.

“Estamos em crescimento acelerado. Para 2022, nem mesmo a elevação dos preços dos equipamentos deverá parar a energia solar no Brasil”, diz Meyer.

Os investimentos em energia solar no Brasil vêm crescendo desde 2012, adquirindo mais de R$ 60 bilhões em novos investimentos. Segundo a Associação Brasileira de energia fotovoltaica, a geração solar evitou a emissão de 13,6 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

O uso de energia solar fotovoltaica no Brasil está localizado principalmente nos estados de Minas Gerais, Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Para as indústrias, o uso de energia renovável é uma forma de se “travar uma despesa fixa, que é a conta de luz”.

Fonte:https://clickpetroleoegas.com.br/com-o-aumento-recorrente-nas-contas-de-luz-energia-solar-vira-alvo-para-alivio-no-bolso-reduzindo-a-conta-em-ao-menos-50/