Uma empresa de pesquisa apoiada pelo governo do Reino Unido e chamada de Instituto de Tecnologia Aeroespacial anunciou um novo projeto para um avião movido a hidrogênio líquido, o qual ganhará o nome de FlyZero.

Em teoria, esta aeronave que terá 279 lugares possuirá a mesma capacidade de desempenho de uma aeronave tradicional, mas sua vantagem é que ela não será poluente. O novo projeto foi anunciado pela própria empresa através de um comunicado feito à imprensa.

A aeronave FlyZero faz parte de uma série de aeronaves que estão sendo projetadas para um programa de mesmo nome. Segundo a empresa criadora deste novo veículo, ele irá armazenar hidrogênio em tanques criogênicos de combustível, o que significa que ele será mantido a uma temperatura de menos 250 graus Celsius.

A companhia revelou que dois tanques criogênicos serão colocados na parte traseira do avião, enquanto dois tanques menores também serão colocados perto da frente da aeronave, para manter um equilíbrio no novo veículo.

A companhia também revelou que optou por utilizar o hidrogênio como o combustível que moverá esta aeronave em razão deste elemento estar sendo apontado como uma das grandes opções viáveis para a redução das emissões de gás carbônico por parte dos aviões. Embora existam outras opções, como aviões elétricos, a companhia informou que não é possível viajar longas distâncias utilizando um motor elétrico, algo que é completamente possível através do uso de motores movidos a hidrogênio, exemplificando que esta aeronave possui a capacidade de voar por metade do planeta em precisar ser reabastecida.

O secretário de negócios do Reino Unido, Kwasi Kwarteng, falou sobre a parceria realizada entre o governo e a companhia responsável por projetar estes novos aviões inovadores: “Esses projetos podem definir o futuro da indústria aeroespacial e da aviação. Ao trabalhar com a indústria, estamos mostrando que um voo realmente livre de carbono pode ser possível, com o hidrogênio como um dos pioneiros na substituição dos combustíveis fósseis convencionais”.

Já o Instituto de Tecnologia Aeroespacial anunciou que prevê que as novas aeronaves movidas a hidrogênio e de alto desempenho serão capazes de operar, a partir da metade da década de 2030, por valores menores do que os gastos com as aeronaves tradicionais atualmente.

Segundo foi revelado anteriormente, o Instituto de Tecnologia Aeroespacial obteve 1,95 bilhão de libras de financiamento por parte do governo desde que foi fundado em 2013. O programa FlyZero, que recebeu o total de 15 milhões de libras provenientes deste valor, foi planejado com a missão de permitir que passageiros destas aeronaves voem com a mesma velocidade e conforto oferecidos pelos aviões atuais.

Fonte:https://defesa.com.br/companhia-planeja-criar-aviao-movido-a-hidrogenio-capaz-de-voar-por-metade-do-planeta/