A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou, na terça-feira (16), reajuste tarifário para consumidores na área de cobertura da CEEE Equatorial, no Rio Grande do Sul. O aumento médio de 14,62% passa a valer a partir do dia 22 de novembroVeja abaixo reajuste por tipo de consumidor.

g1 entrou em contato com a CEEE Equatorial e aguarda retorno.

A estatal foi privatizada em março deste ano, após a Equatorial Participações e Investimentos oferecer R$ 100 mil, em lance único. A empresa atende 1,8 milhão de clientes em Porto Alegre e outros 71 municípios.

Segundo a Aneel, o reajuste é composto por custos de distribuição (5%) e componentes financeiros (5,71%). Por outro lado houve a retirada dos financeiros anteriores (1,29%) e os custos de transporte (1,82%).

Impacto no bolso

 

Os reajustes na tarifa de luz impactam no bolso dos consumidores. Desde setembro, em razão da crise hídrica e do encarecimento da geração de energia, a população paga mais pelo serviço.

Rodrigo Conter é dono de uma barbearia em Gravataí, na Região Metropolitana. Trabalhando 12 horas por dia com equipamentos elétricos, ele pagou R$ 1,7 mil de luz no último mês.

“Se nós pegarmos o mesmo período agora em comparação a novembro do ano passado, nós tivemos uma redução de 5% no nosso consumo de energia, nosso consumo de kw/h, mas a nossa conta aumentou cerca de 38%”, lamenta.

O professor de economia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Róber Iturriet Avila comenta que o reajuste da luz ocorre em meio ao aumento do preço de outros produtos e serviços, pesando no orçamento das famílias.

“Significa, na prática, uma redução da renda real, uma redução do rendimento médio do salário médio, sobretudo das camadas inferiores de renda. Porque acaba que esses preços – como energia, combustíveis, alimentos – impactam mais no orçamento, são mais representativos”, avalia.

A bandeira tarifária de escassez hídrica, com previsão de validade até abril de 2022, pode se estender ao longo do ano que vem, considera o especialista.

Fonte:https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2021/11/17/conta-de-luz-da-ceee-equatorial-fica-1471percent-mais-cara-para-clientes-residenciais-no-rs.ghtml