SÃO PAULO, BRASÍLIA E RIO – Um grupo de empresários brasileiros defende que o governo faça concessões na COP-26, a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, para destravar a negociação das regras do mercado de carbono.

Esse mecanismo, que permitiria aos países comercializarem compromissos de redução de emissões de CO, contém um potencial de ganhos líquidos para o Brasil que podem ficar entre US$ 16 bilhões e US$ 72 bilhões anuais em 2030, segundo o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds).

Os valores, que constam de uma nota técnica produzida por analistas do grupo, são uma previsão originalmente feita pela Associação Internacional de Comércio de Emissões (Ieta, pela sigla em inglês) e pelo Fundo de Defesa Ambiental (EDF, em inglês).

Fonte:https://oglobo.globo.com/brasil/um-so-planeta/cop-26-empresarios-defendem-que-brasil-faca-concessoes-para-destravar-mercado-de-carbono-25237170