Este resumo diário oferece uma seleção das últimas atualizações de notícias sobre a pandemia de coronavírus COVID-19, além de dicas e ferramentas para ajudar você a se manter informado e protegido.

Casos globais ultrapassam 12 milhões, Tóquio tem um novo recorde diário e a Oxfam alerta para uma crise de fome.
1. Como o COVID-19 está afetando o mundo:

Os casos globais de coronavírus confirmados ultrapassaram a marca dos 12 milhões, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. Sabe-se que mais de 549.000 pessoas morreram com o vírus, enquanto mais de 6,5 milhões se recuperaram.

Os EUA superaram 3 milhões de casos confirmados, com o país com mais de 132.000 mortes.

Tóquio confirmou o recorde de um dia em 224 casos em 9 de julho. É a primeira vez que existem mais de 200 infecções no país desde 17 de abril.

A pandemia pode levar mais 49 milhões de africanos à pobreza extrema, segundo o Banco Africano de Desenvolvimento.

A partir de hoje, as pessoas na região espanhola da Catalunha devem usar uma máscara em público, mesmo onde o distanciamento social é possível.

Hong Kong teve 28 novos casos confirmados nos últimos dois dias, nos quais as autoridades de saúde estão descrevendo como uma terceira onda de infecções.

O governo do Reino Unido apresentou uma nova rodada de gastos, no valor de US $ 38 bilhões, para impulsionar a recuperação econômica do país.

2. Evidências mostram possibilidade de dano cerebral ao COVID-19:

Os cientistas alertaram para os possíveis impactos neurológicos a longo prazo do COVID-19, dizendo que há evidências crescentes de que a doença causada pelo coronavírus, que afeta principalmente os pulmões, também pode afetar o cérebro.

Pesquisadores da University College London estudaram 43 casos em que pacientes com o vírus apresentavam distúrbios neurológicos, incluindo delirium, derrame, encefalite e Guillain-Barré, que causam danos nos nervos.

“Como a doença existe há apenas alguns meses, talvez ainda não saibamos que dano a longo prazo o COVID-19 pode causar”, disse Ross Paterson, que co-liderou o estudo, à Reuters.

“Os médicos precisam estar cientes dos possíveis efeitos neurológicos, pois o diagnóstico precoce pode melhorar os resultados dos pacientes”.

3. Oxfam: COVID-19 está aprofundando a crise mundial da fome:

Mais pessoas poderiam morrer de fome todos os dias do que o COVID-19, de acordo com a Oxfam, que divulgou um relatório sobre o impacto da pandemia.

Até o final do ano, o número de pessoas que experimentam fome no nível da crise pode aumentar 82% de 2019 para 270 milhões, estima o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Isso pode significar que 12.000 pessoas morrem todos os dias de fome ligada aos impactos sociais e econômicos da pandemia.

A Oxfam divulgou uma lista dos dez pontos mais quentes da fome extrema; países que já estavam enfrentando crise de fome e nos quais o desemprego em massa do COVID-19 pioraria a insegurança alimentar.

A instituição pediu aos governos que tomem medidas para salvar vidas, incluindo: financiamento do apelo humanitário da ONU; construção de sistemas alimentares mais justos, mais resilientes e mais sustentáveis; promover a participação e liderança das mulheres nas decisões sobre sistema alimentar; cancelamento da dívida para permitir que países de baixa renda adotem medidas de proteção social; e tomar medidas urgentes para enfrentar a crise climática.

Fonte: https://www.weforum.org/agenda/2020/07/covid-19-what-you-need-to-know-about-the-coronavirus-on-9-july/