déficit de arrecadação do sistema de bandeiras tarifárias nas contas de luz atingiu um acumulado de R$ 9,87 bilhões até setembro deste ano, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

De acordo com o balanço da Aneel, a receita adquirida com o acionamento da bandeira escassez hídrica em setembro totalizou R$ 2,81 bilhões.

Essa arrecadação, no entanto, não foi suficiente para cobrir os elevados custos da produção de energia adicional, nem para compensar o saldo negativo que já havia sido registrado em meses anteriores. Com isso, em vez de cair, o déficit aumentou.

Até agosto, por exemplo, o rombo no sistema de bandeiras estava em R$ 8,057 bilhões. Mesmo com a bandeira escassez hídrica, que encareceu as contas de energia em meio à crise de abastecimento dos reservatórios das hidrelétricas, não foi possível reverter esse quadro.

Bandeira escassez hídrica

A bandeira escassez hídrica entrou em vigor em setembro, em uma tentativa de cobrir os custos adicionais diante das medidas adotadas para enfrentar a escassez hídrica, como o acionamento das usinas termelétricas – mais caras – e a importação de energia da Argentina e do Uruguai.

Durante o anúncio da nova bandeira, no final de agosto, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, defendeu que a arrecadação com a bandeira escassez hídrica conseguiria zerar o déficit até abril de 2022, último mês de vigência da bandeira.

Fonte:https://g1.globo.com/economia/crise-da-agua/noticia/2021/11/08/deficit-da-bandeira-tarifaria-atingiu-r-987-bilhoes-em-setembro-diz-aneel.ghtml