Dispositivo movido a energia solar converte água suja em potável.
Inspirados no processo de fotossíntese, pesquisadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, desenvolveram um dispositivo com energia solar para converter água contaminada em hidrogênio limpo e água potável.

O diferencial é a capacidade de operar em fontes de água abertas, como rios, mares ou água residual industrial, dispensando a necessidade de água pura.
Por exemplo, outros dispositivos semelhantes a esse só conseguiam gerar o hidrogênio como combustível a partir de água limpa e potável.
Por ser tão versátil, a equipe aposta que ele poderá ser usado em diversas situações, fornecendo água potável e combustível renovável em locais com recursos limitados, conforme artigo na revista Nature Water.
Em regiões remotas ou em desenvolvimento, onde a água potável é relativamente escassa e a infraestrutura necessária para a purificação da água não está prontamente disponível, a divisão da água é extremamente difícil. Um dispositivo que pudesse funcionar usando água contaminada pode resolver dois problemas ao mesmo tempo: pode dividir a água para produzir combustível limpo e pode produzir água potável.
O dispositivo deposita um fotocatalisador absorvente de luz UV em uma malha de carbono nanoestruturada que absorve luz infravermelha.
A malha, tratada para repelir água, funciona como um absorvedor eficiente de luz e calor, permitindo que o fotocatalisador flutue e permaneça afastado dos contaminantes na água.

Além disso, a configuração não apenas impede que contaminantes envenenem o catalisador, mas também possibilita uma melhor utilização do espectro de energia solar, conforme explicado pelo New Atlas.

A sua energia é o nosso negócio.