A Embraer quer utilizar combustível de aviação 100% renovável, conhecido pela sigla SAF (Sustainable Aviation Fuel), em toda a sua frota até 2040. O combustível começou a ser usado neste ano.

Para tanto, a terceira maior fabricante de aeronaves comerciais do mundo aposta em combustíveis híbridos, biocombustíveis, na eletrificação de aviões e até no hidrogênio.

“Nossa meta é reduzir emissões com produtos com menos impactos ambientais. Objetivo é de zero emissão através de novos sistemas de propulsão e de tecnologias de combustíveis”, disse Francisco Gomes Neto, presidente e CEO da Embraer.

Carlos Alberto Griner, vice-presidente sênior de Pessoas, ESG e Comunicações da Embraer, listou as metas da companhia para a área ambiental.

A Embraer quer descarbonizar as operações diretas e indiretas alinhada com as metas do acordo de Paris, com 50% de redução nas emissões líquidas de carbono até 2040, tendo como base o ano de 2018. Também prevê o uso de 100% de energia proveniente de fonte renovável até 2030, com 50% até 2025.

Empresa ainda mira crescimento neutro de carbono a partir de 2022, tendo como base o ano de 2021 e mesmo com aumento das operações. A meta geral é de aviação zero carbono até 2050.

AERONAVES

Segundo Luís Carlos Affonso, vice-presidente sênior de Engenharia, Desenvolvimento de Tecnologia e Estratégia Corporativa, a primeira iniciativa é aumentar o uso de combustíveis renováveis nas operações da Embraer, otimizando testes em solo e aumentando a eficiência.

No terceiro trimestre deste ano, a companhia começou a usar SAF na Flórida, nos Estados Unidos, sede da produção de jatos executivos.

“SAF e energia renovável serão as principais alavancas para atingirmos a meta de operações neutras de carbono”, disse Affonso.

Quanto às aeronaves, a Embraer mira emissão zero carbono na aviação até 2050. Para tanto, aposta em duas frentes: acelerar a eficiência dos aviões e colaborar com os participantes da indústria para defender a inovação e políticas públicas no ecossistema sustentável.

“O hidrogênio emerge como combustível para a aviação no futuro, com enorme potencial. Embrar está estudando questões econômicas e técnicas, além da cadeira de fornecimento, para incluir na sua frota”, afirmou o vice-presidente de Engenharia.

A previsão é ter um voo em 2025 com um avião usando hidrogênio pela primeira vez.

Recentemente, a Embraer realizou o primeiro voo de demonstração com um avião elétrico. A aeronave experimental usa a plataforma do avião agrícola Ipanema, que utiliza etanol.

Dois novos projetos da Embraer já trazem os combustíveis renováveis como meta, como o novo turboélice e um avião de transporte para a FAB (Força Aérea Brasileira).

“Novo projeto de turboélice está alinhado com meta de sustentabilidade da empresa e temos ainda o novo projeto de avião híbrido para a FAB, também com aplicações civis”, disse Affonso.

“Já o Evtol, um veículo para mobilidade urbana aérea, terá 100% de solução elétrica e emissão zero. O veículo está desenhado com propulsão distribuída e padrões de segurança muito elevados. Estamos entre os poucos que terão êxito neste mercado”, completou o executivo.

DIVERSIDADE

A Embrar também assumiu compromissos com a diversidade em seus negócios. A empresa prevê ter um local de trabalho 100% inclusivo e seguro, aumentando a representatividade em todos os níveis da organização.

Entre as metas, estão 100% de posições de liderança da empresa treinadas em diversidade e inclusão até 2021, e todos os trabalhadores até 2022. Metade das contratações da companhia até 2025 respeitarão princípios de diversidade.

Quanto à participação feminina, a Embraer quer 25% da engenharia aeronáutica com mulheres até 2023 e 20% em posição de lideranças sênior até 2025.

Fonte:https://www.ovale.com.br/nossaregiao/embraer-quer-combustivel-100-renovavel-em-toda-sua-frota-ate-2040-1.181539