O aumento dos preços da produção industrial reflete, em particular, a subida dos custos da energia. Segundo o INE, o aumento dos preços do agrupamento de energia foi de 60,4% face a novembro de 2020

Os preços na produção industrial aumentaram 18,7% em novembro face ao mesmo mês do ano passado, uma aceleração face a outubro, quando o indicador tinha crescido 16,2% a nível homólogo, segundo os dados divulgados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o gabinete estatístico, este aumento “reflete a intensidade do aumento dos preços das matérias primas e, em particular, da energia, sem a qual a variação do índice foi 9,9% (8,8% no mês precedente)”.

O aumento dos preços do agrupamento de energia foi de 60,4% face a novembro do ano passado.

No geral, todos os agrupamentos apresentaram contributos positivos para a variação. O de energia, que viu o maior aumento, teve um contributo de 10,4 pontos percentuais (p.p.).

Quanto aos restantes agrupamentos, os bens intermédios aumentaram 17,1% (contributo de 6,3 pontos percentuais), os bens de consumo subiram 4,6% (1,5 p.p.) e os bens de investimento aumentaram 2,8% (0,3 p.p.).

A secção das indústrias transformadoras registou uma variação homóloga de 14,4% (11,3% em outubro), da qual resultou um contributo de 12,9 pontos percentuais para a variação do índice total. Já a secção da eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio viu um aumento de 14,3% a nível homólogo, com um contributo de 5,5 p.p.

Fonte:https://expresso.pt/economia/2021-12-20-Energia-dispara-e-precos-da-producao-industrial-aumentam-187-em-novembro-0ff4b408