A produção de energia solar fotovoltaica bateu três recordes distintos nesta terça-feira (28).

O primeiro foi no Sistema Interligado Nacional (SIN), com um pico de geração instantânea no valor de 3.626 megawatts (MW), às 10h52. Essa quantidade de energia representa 4,7% da demanda do Brasil. Esse percentual superou a marca registrada no dia 19 de setembro, quando foram gerados 3.574 MW, às 11h16.

Ainda no período da manhã, no Nordeste, a geração solar instantânea alcançou 2.624 MW, às 10h52, montante suficiente para atender a 21,4% da carga desta região. Em seguida, às 12h08, no Sudeste/Centro-Oeste, foi registrada outra marca inédita para a geração instantânea fotovoltaica, a produção de 1.056 MW que representou 2,4% da demanda do subsistema.

Hoje, a produção de energia solar para a matriz elétrica representa 2,1% e a expectativa do Operador Nacional do Sistema (ONS) é que atinja 2,6% até o fim deste ano. O recorde anterior de geração solar foi registrado às 11h57 do dia 26 de agosto, quando o pico atingido foi de 2.336 MW, montante suficiente para atender a 20,5% da demanda da região no minuto do dia.

Também nesta terça, a Enel X, empresa de soluções em energia do Grupo Enel – que opera no Brasil na geração e distribuição de energia elétrica – assinou um contrato com o banco Bradesco para o desenvolvimento e construção de nove usinas fotovoltaicas de geração distribuída nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Goiás.

As unidades estão sendo instaladas nos municípios de Quixeré, no Ceará; Buriti Alegre, em Goiás; e Seropédica e Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. Ao todo, serão 18.550 painéis solares, distribuídos em uma área total de mais de 240 mil (246.431) metros quadrados. A previsão é que as usinas iniciem as operações em junho de 2022.

Até 2012, o setor tinha apenas 7 MW instalados. Em agosto desse ano, superou a marca histórica de 10 mil MW em empreendimentos, sendo 65% de projetos de geração distribuída solar, que envolvem pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terreno. Já os parques centralizados respondem por 3,5 gigawatts (GW), 2% da matriz.

Sobre o ONS:

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN) e pelo planejamento da operação dos sistemas isolados do país, sob a fiscalização e regulação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Fonte:https://www.cnnbrasil.com.br/business/geracao-de-energia-solar-bate-tres-recordes-no-mesmo-dia/