A Hidrovias do Brasil informou que, em setembro, navegou de forma pontual e restritiva no Corredor Sul, em meio à crise hídrica, na região de Corumbá, o que deverá impactar a navegação em outubro.

“O cenário atípico com o nível de calado dos rios abaixo das médias histórias na região e, conforme as projeções, acreditamos que o cenário mais crível é de não navegação em outubro”, informa a Hidrovias do Brasil, em comunicado.

Comboios para subsidiária da Vale
A companhia informou também nesta sexta-feira (1º de outubro) que recebeu da Mineração Corumbaense Reunida, subsidiária da Vale International, um comunicado avisando que solicitará para 2022 a dedicação de oito comboios para prestação de serviços.

O pedido foi enviado à Girocantex, subsidiária da Hidrovias do Brasil, nos termos do contrato de transporte fluvial, firmado em julho de 2012.

Com o requerimento, a companhia prevê movimentar o volume contratual máximo previsto. O contrato estabelece transportar até 3,2 mil toneladas de minério de ferro por ano na Hidrovia Paraguai-Paraná pelo período de 25 anos.

Fonte:https://www.portosenavios.com.br/noticias/navegacao-e-marinha/hidrovias-do-brasil-navegacao-foi-restritiva-em-setembro-e-com-crise-hidrica-pode-parar