Se o Paraguai aceitar contratar a energia da hidrelétrica, os consumidores do país vizinho terão de arcar com um reajuste médio de cerca de 40%.

Brasília — O impasse entre Brasil e Paraguai em torno da energia elétrica da Hidrelétrica de Itaipu continua e embute um custo político elevado para o país vizinho, que quer evitá-lo de todas as formas.

Se o Paraguai aceitar contratar a energia que consome pelo preço considerado adequado pelo lado brasileiro, os consumidores do país vizinho terão de arcar com um reajuste médio de cerca de 40%, segundo apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Hoje, a tarifa média residencial no Paraguai custa US$ 74 por megawatt-hora (MWh); para indústrias, o valor é de US$ 51. Mesmo com um reajuste de 40%, o preço ainda seria bem menor que os valores pagos por brasileiros.

No Brasil, os consumidores residenciais pagam, em média, US$ 206, enquanto a indústria paga US$ 125. As informações são da Ande, empresa pública paraguaia responsável pelo fornecimento de energia no país.

Fonte: https://exame.abril.com.br/economia/impasse-em-itaipu-gera-disputa-entre-brasil-e-paraguai/