A inflação da energia elevou as margens das renováveis a níveis historicamente altos e aumentaram as perspectivas de um crescimento mais rápido do aumento de capacidade em 2022, diz o S&P Global Platts Analytics Energy Outlook 2022.

Para os analistas, há uma certa ironia nesse cenário, já que o baixo desempenho das energias renováveis estaria por trás do aumento nos preços globais da energia.

E será preciso desenvolver políticas que equilibrem a necessidade de adicionar eletricidade zero carbono à matriz global com o custo da disponibilidade de energia renovável e opções de armazenamento, já que muitas dessas fontes são intermitentes – como solar e eólica.

Apesar de um aumento de 10% nos custos, devido aos preços historicamente altos de insumos e questões trabalhistas, a consultoria espera que as adições de energia solar fotovoltaica aumentem 4% em 2022, enquanto as instalações eólicas onshore avançam 1%.

Por outro lado, o crescimento da capacidade de eólicas offshore deve encolher 25% em 2022, após um salto expressivo em 2021, ano em que subsídios da China expiraram.

“2021 foi um exemplo claro de que a recuperação de eventos perturbadores como a Covid-19 costumam ser exercícios de vários anos”, diz Dan Klein, chefe de Energy Pathways Analytics da Platts.

Isto é, embora a recuperação continue em 2022, é provável que nem todos os mercados de energia estejam de volta ao normal até o final do ano, especialmente porque as necessidades da transição energética exigirão mais interrupções para os negócios convencionais (ou fósseis).