Nesta quarta-feira (3), a cúpula da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26), realizada em Glasgow, na Escócia, discute o investimento financeiro global necessário para o cumprimento dos compromissos pela redução das emissões de poluentes e para o desenvolvimento de estratégias sustentáveis para as economias.

A programação inclui atividades que vão esclarecer como o financiamento climático tem sido mobilizado para os países que mais precisam. No domingo (31), os países do G20 reafirmaram o compromisso com o financiamento do clima, que inclui o fornecimento de US$ 100 bilhões (cerca de R$ 568 bilhões) por ano aos países em desenvolvimento até 2025.

Ao longo do dia, os líderes globais discutem como o sistema financeiro mundial ficará alinhado com o Acordo de Paris. O chanceler do Reino Unido, Rishi Sunak, líder ministerial da COP26 para finanças, realiza um balanço sobre os avanços e entraves na área desde o acordo firmado em 2015.

Meta de financiamento climático não foi alcançada, diz estudo

Uma análise a pedido da presidência da COP26 mostra que a meta de financiamento de US$ 100 bilhões por ano não foi alcançada em 2020 e provavelmente também ficará aquém em 2021 e 2022.

O presidente da COP26, Alok Sharma, pediu a Jonathan Wilkinson, ministro do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Canadá, e a Jochen Flasbarth, secretário de Estado da Alemanha no Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear, um plano para que os países desenvolvidos cumprissem de fato suas promessas de financiar US$ 100 bilhões anuais.

Para que os países ricos contribuam, o plano sugerido pelos ministros canadense e alemão estabelece uma trajetória para o financiamento do clima de 2021 a 2025, levando em consideração as novas promessas de financiamento de nações e bancos multilaterais de desenvolvimento. O financiamento climático privado também teve um desempenho inferior ao esperado.

Com base nas consultas realizadas pelo ministro Wilkinson e o secretário de Estado Flasbarth, promessas adicionais de países desenvolvidos são esperadas este ano.

Fonte:https://www.cnnbrasil.com.br/internacional/investimento-financeiro-e-destaque-da-cop26-nesta-quarta-feira-3/