Itaú BBA terá crédito para a aquisição de bioinsumos.
O Itaú BBA vai lançar nesta segunda-feira (22/5) uma nova linha de crédito rural verde para fomentar a compra de bioinsumos. A iniciativa vai oferecer juros diferenciados, mais baratos do que as taxas dos programas tradicionais, para abastecer revendas e atender os produtores que queiram adquirir produtos biológicos para uso na safra 2023/24.

A expectativa é desembolsar R$ 500 milhões até o fim do ano nessa nova modalidade, mas não haverá limitação de caixa caso haja demanda acima disso. Uma operação-piloto foi realizada entre a Agrivalle, empresa paulista que fabrica exclusivamente bioinsumos, e a Nutrien, que adquiriu R$ 15 milhões em produtos. A ideia, segundo a instituição financeira, é estimular a adoção de práticas no campo que contribuam para o desenvolvimento sustentável do agronegócio brasileiro.
O diferencial fixo na taxa de juros para as operações na linha de crédito verde não foi revelado, mas trata-se de uma “redução significante”, disse ao Valor o diretor de Agronegócios do Itaú BBA, Pedro Fernandes. A criação desse novo mecanismo de financiamento ao setor agropecuário segue as diretrizes da agenda de produtos verdes que o banco criou em 2021.
A operação entre Agrivalle e Nutrien ocorreu por meio da emissão da modalidade de Cédula de Produto Rural (CPR) 3.0, que permite o financiamento de atividades “depois da porteira”, como é o caso das revendas de insumos. Fernandes disse que a linha foi construída em conjunto com os clientes que participaram da operação, mas que já está “na prateleira” também para produtores, que poderão buscar os recursos via CPR tradicional ou nas linhas de custeio do Plano Safra disponíveis no Itaú BBA.

A sua energia é o nosso negócio.