Na COP28, maioria dos países assina declaração para implementação de energias renováveis.
Como uma forma de compartilhar os destaques das negociações da 28ª Conferência das Partes, a COP28, a organização do evento está divulgando documentos de diferentes acordos firmados. Entre os de maior adesão, há o de energia renovável, intitulado Compromisso Global de Renováveis e Eficiência Energética, com declarações de chefes de Estado de mais de 120 países.

Segundo o documento, o ritmo e a escala de implementação das energias renováveis – e, por consequência, da eficiência energética – devem aumentar entre 2023 e 2030, por conta do movimento global de uso de sistemas energéticos sem combustíveis fósseis. Tudo isso tendo em vista o cumprimento do Acordo de Paris para manter o aquecimento terrestre abaixo dos 2 °C.
Os países participantes reconhecem que a energia está ligada a todos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), assim como existe o ODS 7, que fala especificamente sobre “energia acessível, viável, sustentável e moderna para todos”.

O investimento em sistemas energéticos tem o potencial de criar empregos e capacitar pessoas, melhorar a qualidade de vida e os meios de subsistência, mas deve ser pensado com responsabilidade ambiental. O documento reconhece que o número de países que têm progredido na agenda energética aumentou consideravelmente.
Segundo o texto, os países se comprometem a trabalhar conjuntamente para triplicar a capacidade instalada de geração de energia renovável no mundo para, pelo menos, 11.000 GW (gigawatts) até 2030 – seguindo metas baseadas nos relatórios da Irena (International Renewable Energy Agency) e IEA (International Energy Agency) que devem ser apresentados em reuniões ministeriais e por meio de relatórios anuais.

A sua energia é o nosso negócio.