Para alguns, apostar no verde pode gerar muitos dólares. Com o aumento do interesse em energia limpa – o plano de infraestrutura do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prevê US$ 174 bilhões em investimentos na indústria de veículos elétricos e uma meta de atingir 100% de “energia livre de poluição de carbono” até 2035 – os pioneiros da revolução verde estão ficando mais ricos. Existem agora 34 bilionários cujas fortunas vêm de produtos de energia limpa, que vão desde scooters e caminhões elétricos até painéis solares e turbinas eólicas. Com um mercado de ações em alta, 19 desses bilionários se juntaram ao clube das pessoas com fortuna acima dos dez dígitos pela primeira vez somente no ano passado.

O bilionário mais rico em energia limpa é o fundador da Tesla, Elon Musk, que foi brevemente a pessoa mais rica do mundo no início de 2021, quando as ações de sua fabricante de veículos elétricos alcançaram novos patamares. O excêntrico nativo da África do Sul está enfrentando problemas mais uma vez, enquanto os investigadores federais estão apurando um acidente de carro Model S no Texas; as autoridades locais supostamente acreditam que o automóvel estava operando no piloto automático no momento do acidente. (Musk recorreu ao Twitter para negar isso). No entanto, Musk ainda é a terceira pessoa mais rica do planeta – atrás de Jeff Bezos, da Amazon, e Bernard Arnault, da LVMH – com um patrimônio líquido estimado em US$ 180,6 bilhões.

Além de Musk, existem sete outros bilionários de veículos elétricos, muitos dos quais viram suas empresas abrirem capital no ano passado. A novidade mais recente é a chegada de Denis Sverdlov, que teve sua startup listada na Nasdaq em março por meio de uma fusão com uma empresa de aquisição de propósito específico (SPAC). Cidadão russo nascido na Geórgia – e que agora mora em Londres -, Sverdlov fundou a Arrival em 2015. A empresa está desenvolvendo vans e ônibus com emissão zero de carbono e pretende iniciar a produção de seus primeiros veículos no quarto trimestre de 2021. Outros bilionários de veículos elétricos incluem RJ Scaringe, da Rivian Automotive, cuja startup tem como objetivo produzir um SUV e uma picape em meados de 2021.

Aproximadamente dois terços dos bilionários de energia limpa vêm da China. A nação mais populosa do mundo há muito promove o desenvolvimento de veículos elétricos domésticos e das indústrias de energia renovável, com uma meta ambiciosa de alcançar a neutralidade de carbono até 2060. O país tem bilionários de veículos elétricos como William Li de Nio e He Xiaopeng da Xpeng; Li listou sua empresa na Bolsa de Valores de Nova York em 2018 e fez o mesmo no ano passado. O casal chinês Dong Jinggui e Qian Jinghong fez fortuna de bilhões de dólares com veículos de duas rodas. Dong (com patrimônio avaliado em US$ 3,1 bilhões) e Qian (US$ 1,3 bilhão) fundaram o Yadea Group em 2001, que agora vende bicicletas elétricas e scooters em mais de 80 países.

Os bilionários chineses também dominam o mercado de baterias de íon-lítio. A CATL (Contemporary Amperex Technology Co.), com sede na província de Fujian, produziu quatro dos dez bilionários mais ricos em energia limpa. Fundada em 2011, a CATL é uma das maiores fornecedoras mundiais de baterias para veículos elétricos, com clientes como BMW, Volkswagen e Geely. Seu presidente, Robin Zeng, é o segundo homem mais rico em energia limpa do planeta, com um patrimônio líquido de US$ 31,5 bilhões; o vice-presidente Huang Shilin, é o terceiro, com uma fortuna de US$ 14,2 bilhões.

Cerca de metade dos bilionários de energia limpa têm fortunas provenientes de produtos solares, incluindo Dean Solon, do Tennessee, que fundou a Shoals Technologies em 1996. Um dos primeiros a acreditar na energia solar, Solon abriu o capital de sua empresa, que fabrica equipamentos elétricos para instalações solares, em janeiro de 2021. Um professor universitário, o chinês Cao Renxian tornou-se um novo bilionário no ano passado devido à sua fonte de alimentação solar Sungrow, que fundou em 1997. A empresa produz inversores, que convertem eletricidade de corrente contínua de painéis solares em corrente alternada para a rede elétrica.

Várias pessoas construíram fortunas de bilhões de dólares na indústria eólica, incluindo a alemã Aloys Wobben. Conhecido como “Sr. Wind” em seu país natal, Wobben’s Enercon é um dos maiores produtores mundiais de turbinas eólicas, com cerca de US$ 4 bilhões em vendas anuais. O colega europeu José Elías fundou a Audax Renovables, listada em Madri, que administra parques eólicos na Espanha, França e Polônia, e atualmente está desenvolvendo projetos solares na Espanha, Portugal e Itália.

Veja, na galeria de imagens abaixo, os 10 bilionários mais ricos em energia verde do mundo:

Fonte: https://forbes.com.br/forbesesg/2021/04/os-10-bilionarios-da-energia-verde-mais-ricos-do-mundo/