SEUL (Reuters) – Anos depois de terem aparecido pela primeira vez na Coréia do Norte, painéis solares cada vez mais baratos e disponíveis estão impulsionando o consumo e a indústria, já que Pyongyang tenta limitar o impacto de duras sanções internacionais.

A escassez de eletricidade tem sido uma preocupação perene para a Coréia do Norte, e o líder Kim Jong Un pediu maior uso de energia renovável como parte de sua busca por auto-suficiência à medida que as sanções aumentaram em resposta aos programas nucleares e de mísseis do país.

Agora cada vez mais residências, fábricas e empresas estão equipadas com painéis solares, levando a uma maior variedade de produtos eletrônicos domésticos disponíveis em mercados privados cada vez mais comuns, conhecidos como jangmadang, dizem desertores e visitantes recentes.

Entre os itens mais vendidos estão purificadores de água, alisadores de cabelo e bicicletas elétricas, principalmente da China, mas alguns feitos na Coréia do Norte ou contrabandeados da Coréia do Sul.

“Há alguns anos, coisas como purificadores de água, misturadores e panelas de arroz só eram vistas em alguns restaurantes e lares ricos, mas eles estão se tornando comuns, especialmente nas cidades”, disse Kang Mi-jin, especialista em economia que fala regularmente com Norte-coreanos para o Daily NK, um site dirigido por desertores.

“Alguns pareceriam uma casa comum da classe média sul-coreana, com uma TV LED de parede, vários laptops e mini carros elétricos para bebês.”

Fonte: https://uk.reuters.com/article/us-northkorea-solar-feature/cheap-solar-panels-power-consumer-appliance-boom-in-north-korea-idUKKCN1RT2P1