Seguro protege painel solar de eventos climáticos, incêndio e roubo; veja preços e como contratar.
Valor para proteger as placas gira em torno de 1% do investimento total do projeto

O preço da energia elétrica tem pesado no bolso dos brasileiros. Apesar de ter dado uma trégua no ano passado com a redução da carga tributária, a conta de luz acumula alta de 70% nos últimos oito anos (entre 2015 e 2022), conforme dados da Abraceel (Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia). Para se ter uma ideia, no mesmo período, o IPCA, índice oficial de inflação, apresentou elevação de 58%.

Diante disso, muitas pessoas físicas e jurídicas estão buscando a energia solar para reduzir as despesas com a conta de luz fornecida pelas distribuidoras. A estimativa é de diminuição de até 95% nas despesas com energia elétrica para quem opta pela placa solar. Da mesma forma que mais brasileiros querem essa energia alternativa, cresce também a busca por seguro para os equipamentos solares, que cobre danos materiais e acidentes com causas externas.
O seguro para painéis solares tem a finalidade de cobrir os equipamentos e placas solares em casos de incêndio, roubo e furto ou fenômenos naturais. Pode ser residencial, comercial ou para fazendas solares.
De acordo com a Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), em um ano a energia solar cresceu aproximadamente 83%, saltando de 14,2 GW para 26 GW.

Desde 2012, a fonte solar já trouxe ao Brasil cerca de R$ 128,5 bilhões em novos investimentos, mais de R$ 39,4 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou mais de 783,7 mil empregos acumulados. Com isso, também evitou a emissão de 34,5 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

A sua energia é o nosso negócio.