A Royal Dutch Shell (RDSa.L) lançou na sexta-feira a maior usina de eletrólise de hidrogênio da Europa de 10 megawatts (MW) chamada Refhyne no local de Wesseling de sua refinaria Rheinland após dois anos de construção, expandindo-se ainda mais em alternativas energias.

A usina produzirá combustíveis verdes dentro de um consórcio financiado pela União Europeia que já está planejando uma instalação de 100 MW em um local próximo a Colônia para expandir suas operações comerciais.

O hidrogênio é considerado “verde” quando é produzido a partir de energia renovável eólica ou solar por meio da eletrólise, enquanto o hidrogênio “cinza” dos combustíveis fósseis é uma matéria-prima em muitos processos industriais padrão hoje. consulte Mais informação

O hidrogênio tem um alto conteúdo de energia por massa, mas as perdas de conversão da eletrólise e os altos custos envolvidos em prepará-lo para entrega representam desafios.

De acordo com as metas climáticas do Acordo Verde da UE, espera-se que o hidrogênio de qualidade verde desempenhe um papel na energia, mas também na mobilidade, fornecimento de calor e indústrias difíceis de descarbonizar, como aço ou cimento.

A Shell também pretende produzir combustível de aviação sustentável a partir de eletricidade renovável e biomassa em Wesseling, bem como desenvolver uma planta para gás natural renovável liquefeito (bio-LNG).

“A Shell quer se tornar um fornecedor líder de hidrogênio verde para clientes industriais e de transporte na Alemanha”, disse Huibert Vigeveno, Diretor de Abastecimento da Shell.

O eletrolisador de membrana de eletrólito polimérico (PEM) utilizará energia renovável para produzir até 1.300 toneladas por ano de hidrogênio verde, inicialmente para produção de combustíveis com menor intensidade de carbono e posteriormente descarbonização de outras indústrias.

A planta custou cerca de 20 milhões de euros (US $ 23,72 milhões), dos quais metade veio de fundos da UE.

O consórcio é formado, além da Shell, pela produtora de eletrolisadores ITM Power (ITM.L), pela organização de pesquisas SINTEF e pelas consultoras Sphera e Element Energy.

“Com o comissionamento da maior planta de eletrólise PEM da Europa, estamos expandindo ainda mais nosso papel de liderança neste campo”, disse o premiê estadual da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, referindo-se à sua região.

O estado industrial é responsável por 30% do uso de hidrogênio cinza na Alemanha.

($ 1 = 0,8431 euros)

Fonte: https://www.reuters.com/business/energy/shell-opens-10-mw-hydrogen-electrolyser-wesseling-site-german-refinery-2021-07-02/