TotalEnergies está investindo em projetos de petróleo , gás e energia solar no valor de US $ 27 bilhões no Iraque, retornando ao país onde a empresa francesa fez sua primeira descoberta de energia há quase um século.

Desta vez, no entanto, nenhuma nova exploração está planejada, apesar das vastas reservas de petróleo do Iraque, refletindo uma mudança de algumas grandes empresas de petróleo em direção a fontes de energia mais limpas, enquanto o planeta luta contra as crescentes emissões de gases de efeito estufa .

Em vez disso, a TotalEnergies investirá em uma usina de energia solar e em projetos para melhorar a produção dos campos de petróleo e gás existentes no país, o segundo maior produtor de petróleo da OPEP .

Em um comunicado na segunda-feira, a TotalEnergies disse que um investimento inicial de US $ 10 bilhões iria para uma série de projetos, incluindo um para recuperar gás queimado em três campos de petróleo para abastecer as usinas locais.

A queima de gás ocorre durante a produção de petróleo, gerando emissões prejudiciais de gases de efeito estufa e desperdiçando o gás.

Um segundo projeto envolve a injeção de água do mar em campos de petróleo para otimizar a produção enquanto conserva o escasso abastecimento de água , e um terceiro envolve a construção de uma usina solar para abastecer a rede regional de Basra, no Iraque.

A Total se renomeou como TotalEnergies no início deste ano para simbolizar o impulso da empresa em energias renováveis.

Em janeiro, tornou-se a primeira grande empresa de petróleo a sair do American Petroleum Institute, um poderoso grupo de lobby do petróleo, por causa de sua posição na crise climática.

Seus investimentos no Iraque não representam um afastamento total do petróleo. A empresa sediada em Paris tem como objetivo aumentar a produção de petróleo em um campo de petróleo de 85.000 barris por dia para 210.000 barris por dia, de acordo com um comunicado do primeiro-ministro do Iraque, Mustafa Al-Kadhimi.

Juntos, a Total está comprometendo US $ 27 bilhões para os projetos de investimento de capital e custos de funcionamento ao longo de 25 anos.

Pouyanné disse que os projetos demonstram a ambição da TotalEnergies de apoiar os países produtores de petróleo em sua transição energética, combinando a produção de gás natural e energia solar para atender à crescente demanda por eletricidade.

“Isso também demonstra como a TotalEnergies pode alavancar sua posição única no Oriente Médio, uma região onde os hidrocarbonetos de menor custo são produzidos, para ter acesso a projetos renováveis ​​de grande escala”, acrescentou.

O colapso dos preços do petróleo causado pela pandemia de Covid-19 atingiu a economia do Iraque – que depende do petróleo para 90% das receitas do governo – fazendo com que o PIB se contraísse em 11%, de acordo com o Fundo Monetário Internacional. Isso aumentou as taxas de pobreza e alimentou a agitação social.

Em artigo de opinião publicado pelo jornal The Guardian na semana passada, o ministro das Finanças do Iraque, Ali Allawi, juntou-se a Fatih Birol, diretor executivo da Agência Internacional de Energia, para pedir que o mundo produza menos carvão, petróleo e gás.

Mas a transição energética teve que incluir apoio aos países produtores de combustíveis fósseis para evitar minar a estabilidade dos mercados globais de energia.

“Se as receitas do petróleo começarem a diminuir antes que os países produtores tenham diversificado com sucesso suas economias, os meios de subsistência serão perdidos e as taxas de pobreza aumentarão”, disseram eles.

Fonte:https://www.cnnbrasil.com.br/business/total-volta-ao-iraque-para-investir-us-27-bilhoes-e-de-olho-em-energia-solar/