A China diz que está trabalhando para desenvolver uma usina de energia solar no espaço que poderia um dia trazer energia suficiente à Terra para iluminar uma cidade inteira.

Se os cientistas puderem superar os desafios técnicos, o projeto representaria um salto monumental no combate ao vício da Terra a fontes de energia sujas que pioram a poluição do ar e o aquecimento global.
Uma estação de energia solar baseada no espaço também poderia fornecer uma alternativa para a atual geração de fontes de energia renováveis ​​e relativamente ineficazes.
Os cientistas já haviam pensado que as usinas solares espaciais (SSPs) seriam proibitivamente caras.
Mas com Pequim prometendo investir 2,5 trilhões de yuans (US $ 367 bilhões) em geração de energia renovável – solar, eólica, hidrelétrica e nuclear – até 2020, a China pode ter o poder de fogo financeiro.
A estatal China Aerospace Science and Technology Corporation espera operar uma estação espacial solar comercialmente viável até 2050, de acordo com um relatório recente no jornal oficial do país Science and Technology Daily.
A energia pode ser transmitida para a Terra através de microondas ou lasers. Mas Pang Zhihao, pesquisador da Academia de Tecnologia Espacial da China, alertou que os perigos potencialmente colocados a humanos, plantas e animais por esse processo devem ser examinados.
Enquanto uma fonte inesgotável de energia renovável é o Santo Graal no combate às mudanças climáticas, alguns temem que os lasers produzidos em um SSP possam potencialmente ser usados ​​como armas para dar a Pequim um instrumento militar letal.

Fonte: https://edition.cnn.com/2019/03/03/asia/china-plans-solar-power-in-space-intl/index.html